Protocolo de Montreal | HCFC's

  • Agência alemã GIZ apresenta à ABRAS Sistema Pró-Ozônio para melhor controle do HCFC-22
  • Agência alemã GIZ apresenta à ABRAS Sistema Pró-Ozônio para melhor controle do HCFC-22

    A agência alemã para o desenvolvimento sustentável GIZ apresentou à Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) o Sistema Pró-Ozônio, para melhor controle das empresas do uso do fluído frigorífico HCFC. A implantação do sistema faz parte das iniciativas do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e da GIZ para implementação do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH).

    O objetivo da reunião, realizada ontem (26/11), na sede da Associação Paulista de Supermercados (APAS), em São Paulo, foi colher sugestões para aperfeiçoamento do sistema, até a finalização do mesmo, quando será disponibilizado on-line para todas as empresas do setor no País poderem acessá-lo. 

    “O governo alemão cedeu ao Brasil esse sistema que é amplamente utilizado para o controle do uso desses fluídos por lá. Nós traduzimos e adaptamos ao contexto brasileiro. Agora estamos na fase final de ajustes. O apoio da ABRAS e também das Associações Estaduais do setor é muito importante para colhermos sugestões técnicas, e também para a fase de divulgação do sistema a todas as empresas supermercadistas”, afirma Stefanie von Heinemann, consultora da GIZ - Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit GmbH. 

    O vice-presidente da ABRAS, Márcio Milan, presente na reunião, adiantou que a entidade vai apoiar a divulgação do sistema, quando ele estiver finalizado, porque para o setor é importante ter uma boa ferramenta de controle do uso do R-22, tanto por causa do custo – o preço desse fluído tem subido muito e deve subir mais – como para evitar vazamentos no meio ambiente. “Essa fase de ajustes é fundamental para que o sistema realmente fique acessível ao uso diário dos técnicos que atuam nos supermercados”, orientou. 

    A gerente da Proteção da Camada de Ozônio/DEMC/SMCQ/MMA, Magna Luduvice, fez durante a reunião uma apresentação dos trabalhos desenvolvidos no PBH - Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH) e chamou a atenção para a importância dos técnicos dos supermercados realizarem os cursos de boas práticas disponibilizados gratuitamente por esse programa. “Nessa primeira fase do PBH nós disponibilizamos 4.900 vagas, os cursos estão acontecendo em várias capitais e é preciso que as empresas incentivem os técnicos (próprios ou prestadores de serviços) a comparecerem. Para a segunda fase do PBH estão previstas mais 9.238 capacitações”, disse.  

    Magna também fez um balanço de todo o trabalho desenvolvido até agora para redução dos HCFCs, que conta com a cooperação da ABRAS e da agência implementadora, no setor de serviços, a GIZ e também da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA), representada na reunião por seu vice-presidente de Meio Ambiente, Paulo Neuländer.

    Como resultado dessa reunião, além das sugestões de pequenas melhorias ao sistema, que foi muito elogiado, ficou definida a realização de pilotos em lojas, que poderão melhor validá-lo ao adequado uso diário pelos técnicos do setor.

    Também participaram da reunião: Carmen Moreira e Frank Amorim, analistas ambientais na Gerência de Proteção da Camada de Ozônio/DEMC/SMCQ/MMA; Gutenberg da Silva Pereira, especialista em Refrigeração e Ar Condicionado da GIZ no Brasil; Marcos Manea, gerente ABRAS; Thiago Pietrobon, consultor da Ecosuporte; Rose Pavan, coordenadora de Sustentabilidade da APAS; Rafael Yamada, do Grupo Yamada (via conferência); e Susana Ferraz, Comunicação ABRAS.

    Fonte: Portal Abras

Mais notícias